Você conhece ou já ouviu falar em Duração Agregada ?

0
108
gp4us - Duração Agregada

O Dr. Homayoun Khamooshi da Universidade George Washington e eu escrevemos artigo publicado na revista MundoPM sobre a técnica da Duração Agregada (Earned Duration em inglês) criada por ele em 2014.

Essa técnica aproveita muito da base criada por Walt Lipke (de quem traduzi alguns artigos e um livro) durante o desenvolvimento de sua técnica Prazo Agregado (Earned Schedule em inglês). 

O Prazo Agregado (PA) é uma técnica complementar ao Gerenciamento do Valor Agregado (GVA) e busca solucionar a deficiência que esta apresenta quando aplicada ao gerenciamento de cronogramas de projeto.

Tal deficiência, embora pouco divulgada, impede que o GVA possa ser efetivamente utilizado como uma opção à análise exaustiva do cronograma do projeto.

Por isso a beleza sintética e simples do GVA na gestão de custo não pôde ser transferida para o gerenciamento de prazos do projeto.

Em 2003 Lipke publicou o artigo Schedule is Different no qual propôs uma maneira de utilizar os dados do GVA de modo a eliminar a infame deficiência.

Duração Agregada

No seu livro “Earned Schedule – An extension to Earned Value Management …for managing schedule performance” (que traduzi com o título “Prazo Agregado – uma extensão ao Gerenciamento do Valor Agregado …para gerenciar o desempenho em prazos” e que se encontra à venda na amazon.com.br) Lipke demonstra a validade de sua técnica e a expande com diversos indicadores úteis.

gp4us - Earned Schedule

Ele escreveu vários artigos e mantém o site earnedschedule.com onde há abundância de artigos de vários autores, planilhas para calcular o PA e vídeo introdutório. 

O PA, todavia, por utitlizar os dados de Valor Planejado e Valor Agregado do GVA na sua geração, pode apresentar certa imperfeição quando aplicado a projeto cujo cronograma contém atividades com taxas de custo por unidade de tempo com diferenças em ordens de grandeza.

Mais Artigos

Embora essa imperfeição seja de difícil percepção, é evidenciada no artigo que o Dr. Mario Vanhoucke (da Universidade de Ghent na Bélgica), Floriano Salvaterra e eu escrevemos para a revista MundoPM – Introdução à Duração Agregada (esse artigo foi, em seguida, traduzido e publicado na The Measurable News uma revista da web).

A novíssima técnica do Dr. Khamooshi – Duração Agregada – tem a vantagem de não utilizar os dados monetários do GVA para oferecer um quadro em tudo similar ao Prazo Agregado, mas sem sua imperfeição.

A Duração Agregada na realidade é uma técnica inteiramente independente do GVA, na realidade Dr. Khamooshi a denominou EDM (de Earned Duration Management e traduzi o termo para Gerenciamento da Duração Agregada).

O Gerenciamento da Duração Agregada traz para o gerenciamento de prazos em projetos o mesmo nível de sofisticação e simplicidade que o GVA trouxe ao gerenciamento de custos.

Embora, em princípio, o Gerenciamento da Duração Agregada elimine a necessidade do PA, ainda estou estudando o valor da aplicação das duas metodologias de gerenciamento de prazos em projetos e explorando o que poderia ser gerado de informação útil pelo seu uso conjunto.

Um dos maiores desafios que o Gerenciamento Duração Agregada embute é o entendimento, pela comunidade de gerentes de projeto, do conceito de duração total.  Pode-se imaginar a duração de uma tarefa do projeto como sendo uma espécie de valor. 

Assim duas tarefas em paralelo no mesmo dia agregarão a duração total de dois dias ao projeto, independente de quantas pessoas trabalhem em cada tarefa.

Na realidade uma tarefa pode até não ter ninguém trabalhando e ter valor maior em duração que outra tarefa na qual estejam trabalhando 10 pessoas ou do valor monetário alocado a qualquer delas.

É o valor da duração das tarefas que interessa para o conceito de duração total.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAplicação das Técnicas do Prazo e da Duração Agregados em Projetos Reais
Próximo artigoAfinal, qual é o principal fator de aumento do custo dos projetos?
Paulo André
Engenheiro eletrônico pelo ITA, MBA em gestão de projetos pela FGV e PMP pelo Project Management Institute, é tradutor técnico, palestrante, escritor e consultor em projetos. É o relator da Norma ABNT de Gerenciamento do Desempenho de Projetos. Traduziu e tem os direitos em português da obra de W. Lipke - Prazo Agregado. Gerenciou, por sete anos em Brasília, o projeto de modernização do ambiente de software das agências do Banco do Brasil. Fundou e foi diretor do Centro de P&D de Software de Brasília (CTS).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Informe seu nome