Avaliação de valores para contratação de obras

Avaliação de valores para contratação expeditas, de menor custo, permitem que o gestor analise, inicialmente, a conveniência do investimento.

0
39
Avaliação de valores para contratação de obras
Quanto você gostou deste post?

Avaliação de valores para contratação de obras

As avaliações expeditas, de menor custo, permitem que o gestor analise, inicialmente, a conveniência do investimento em etapas seguintes ou a inviabilidade da obra, apesar da menor precisão; por outro lado, estudos detalhados em fases posteriores, e logicamente mais dispendiosos, possibilitam a perfeita caracterização do objeto e de custos que serão definidos no pacto com a empresa.

Conceito

A maneira mais fácil e rápida de se avaliar valores de execução de obras é por meio de indicadores que reflitam custos médios por unidade que caracterizem o empreendimento, por exemplo:

– Custo por m2 para edificações;

– Custo por km para rodovias, incluindo número de faixas, tipo de pavimento, etc.;

– Custo por kW para obras geração de energia.

A forma de cálculo é simples e pouco precisa, basta multiplicar a quantidade de serviço que será executado pelo respectivo indicador:

Para redução das chances de erro é necessário que o indicador utilizado seja com a mesma característica da obra, a data referência deve ser atualizada e a região da obra deve ser a mesma ou próxima.   

É necessária a inclusão de itens não previstos no indicador como lucro da empresa e despesas indiretas.

Empregabilidade

O empreendedor poderá iniciar os estudos atinentes à viabilidade do empreendimento, comparar alternativas, assim como definir a conveniência do desenvolvimento de projeto básico.

Para cálculo de custos de edificações é utilizado o Custo Unitário Básico (CUB), indicador emitido pelo Sinduscon.

ABNT NBR 12.721

A norma define os grupos de insumos que deverão ser utilizados e os respectivos pesos por tipo de edificação.

Algumas definições são importantes para a utilização da metodologia de cálculo como:

– Área coberta real: Quaisquer dependências cobertas;

– Área coberta padrão: Acabamento semelhante ao do tipo escolhido;

– Área coberta de padrão diferente: Acabamento substancialmente inferior ou superior ao tipo escolhido;

– Área equivalente de construção: Área estimada.

Na formação destes custos unitários básicos não foram considerados os seguintes itens:

Fundações, submuramentos, paredes-diafragma, tirantes, rebaixamento de lençol freático; elevador(es); equipamentos e instalações, tais como: fogões, aquecedores, bombas de recalque, incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, outros; playground (quando não classificado como área construída); obras e serviços complementares; urbanização, recreação (piscinas, campos de esporte), ajardinamento, instalação e regulamentação do condomínio; e outros serviços; impostos, taxas e emolumentos cartoriais, projetos: projetos arquitetônicos, projeto estrutural, projeto de instalação, projetos especiais; remuneração do construtor; remuneração do incorporador.

Considerações Finais

A utilização de métodos simplificados fornece parâmetros importantes para que se analise a viabilidade de continuação do empreendimento, seja em relação à contratação de projetos, seja na negociação da compra do terreno.

Para os demais tipos de obra, como drenagem ou rodovias, a utilização do método é semelhante, bastando que sejam consultadas tabelas referenciais especificas publicadas por órgãos especializados ou referenciais de contratos de obras similares.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Informe seu nome